terça-feira, 14 de abril de 2015

2 meses!!

     Já faz alguns dias que tento escrever... entre mamadas, dormidas e fraldas não sobra mais nem um minuto pra outras coisas. O que estou fazendo aqui que não estou dormindo? Pois eh... isso é minha mente irrequieta que não quer parar e tenho que me levantar e começar a escrever. Colocar pra fora o que não cabe mais dentro da caixola rsrs.
     Minha princesa completou ontem dois meses que foi recebida nesse mundo pra novos desafios e descobertas. Estou tão feliz por tê-la nos meus braços com saúde e alegria. Ainda é tudo muito novo e preciso de tempo pra decantar esse sentimento tão grande que não cabe em mim. Ainda são emoções muito contraditorias vivenciadas com uma intensidade muito forte que precisam serem assimiladas pela minha razão e meu coração. Às vezes sinto uma falha na conexão entre os dois, mas logo aquele rostinho vem desmoronar qualquer reflexão e um abraço da minha gorduchinha traz a paz de volta.
     Desde a maternidade já percebi a energia dessa pequena. O vigor nas mamadas, a fome, o choro forte, o espriguiçamento demorado e contorcido... são tantas as particularidades que a fazem única. Todo dia é um novo aprendizado... pra ela e pra mim. Cada dia é um leão vencido. A amamentação foi um dos primeiros leões ferozes que enfrentamos... banhadas de lágrimas, leite e sangue fomos aprendendo em família e nos adaptando à essa nova realidade. As feridas, a mastite, a febre, os peitos inchados, acordar pra dar de mamar, acordar pra desmamar na mamadeira, fechar os olhos e se concentrar na dor do inicio da amamentação.... as dúvidas de posição, se acorda pra dar de mamar ou se troca a fralda ou se deixa dormir e os peitos explodirem (agora ja aprendi a desmamar só necessario...mas nem sempre foi assim)... se compra ou aluga a desmamadeira ou se tira na mão. E o cansaço!!! Esse sim me costura na cama ... mas isso não me pertence mais... levanta e sai da cama meio cambaleando, ajeitando a roupa, os peitos, a almofada, olha a hora... vixe sempre esqueço alguma coisa. Pq tenho só duas mãos? rsrsrs Depois vieram as cólicas e os choros estridentes!!! Ahhhh esses ainda estão presentes... haja ouvido, amor e paciencia. Mas nós vamos aprendendo. E agora outro novo desafio é o "colocar pra dormir". Não fazia idéia de como era dificil essa arte, aliás, nunca tinha pensado nisso. E estamos aprendendo...


     Começamos a fazer uma pequena rotina noturna. E pra felicidade geral da casa está dando certo! Banho de camomila demorado com música relax e massagem do papai, depois vem as mamadas e as nossas orações. E a paz reina ... hora de alongar as minhas costas, tomar um banho morno e comer pra cair na cama ... e recomeçar no meio da madrugada mais uma jornada. Ela já está dormindo 5 horas seguidas (e eu estou bem orgulhosa!). Cada vez mais vejo o quanto é importante ter e demonstrar confiança no que faço. Se faço algo duvidando que vai dar certo ou sem muita fé ... bom , não dá mesmo. Pra acalmar, é preciso antes de tudo que eu esteja calma e acredite na ação que vou fazer pra acalmá-la, por exemplo.
      Muitas vezes tento paralisar o tempo e viver intensamente o instante... o olhar, o segurar na mão enquanto mama, o sorriso depois de comer, o relax do banho, o remelexo das perninhas e dos bracinhos... É só o começo e já é tão mágico toda essa troca. E tão lindo quando dorme como um anjinho.


quinta-feira, 5 de março de 2015

Anunciação... Minha flor de Lys!

"A voz do anjo
Sussurrou no meu ouvido
Eu não duvido
Já escuto os teus sinais
Que tu virias
Numa manhã de domingo
Eu te anuncio
Nos sinos das catedrais"

Foi numa tarde de domingo que minha flor decidiu que seria a hora de começar sua nova vida aqui conosco. Estávamos assistindo um filme na sala e ela reboliçando dentro de mim... e a danadinha esperou até o fim do filme pra estourar a bolsa. Eram umas 16:20.
Uma cachoeira de água e de emoções escorria de mim... De repente tinha chegado o momento tão esperado, tão pedido em orações, em canções, em conversas... Toda a família estava ansiosa por essa hora. E assim calmamente nos dirigimos à maternidade pertinho de casa, ter a minha "boa hora". E mais uma vez senti uma onda de boas vibrações vindas de toda parte nos protegendo e nos envolvendo nesse momento mágico. E foi água.... nunca pensei abrigar tanta água pra sustentar minha flor rsrsrs. 
As contrações vieram uma hora depois que estava na maternidade. Cheguei com dois cm de dilatação e com a esperança, certeza e confiança que ia ser rápido... Tinha que ser otimista nera rsrsrs... Seis horas depois, cheguei a quatro cm .... e me senti virando bicho rsrsrs não conseguia mais raciocinar de dor. Pedi a anestesia, que me devolveu minha calma e minha sanidade rapidamente, mas que não fez passar a dor completamente. Continuei sentindo as dores, mas de forma bem mais aceitável para meus limites. Doze horas depois da bolsa rompida estava com cinco cm de dilatação e um princípio de febre... Lys estava com taquicardia...comecei a ficar preocupada. Ainda recebi indução, doses extras de anestesia, antibióticos pra prevenir/tratar a infecção que se instalava... Anercio estava sempre ao meu lado junto com papai tb. Teve a troca de plantão pela manhã e o médico que entrou ainda quis esperar um pouco pra ver se o quadro melhorava... tudo continuou na mesma. Cheguei até seis cm de dilatação e a pequena a 190 bpm. E decidimos pela cesárea. Falei com o médico, antes mesmo dele sugerir, sobre a cesárea... que aceitava, que na verdade estava com muito medo de continuar esperando e ter consequencias piores, que não me sentiria menos mulher por isso e que se fosse do acordo dele que eu queria mesmo é que minha filha nascesse o mais rápido possível, e para isso seria a opção da cesárea. Estava decidida. A presença do papai perto tb me ajudou muito a me sentir decidida nessa situação. E quando o médico decidiu pela cirurgia .... rapidamente já estava no bloco operatório. Em minutos já estava entrando na sala, sendo apresentada aos profissionais que explicaram mais uma vez minha condição e os procedimentos a serem realizados ... de braços amarrados, olhos pra cima de todas aquelas luzes entreguei minha vida e da minha pequena nas mãos da equipe médica e de Deus ... Fazia força para me concentrar numa luz que envolvia toda a sala e as pessoas... brigava com a anestesia que queria me fazer dormir... procurava Anercio, até ele entrar com o médico e me ajudar a me concentrar... Não queria perder o momento, o choro, a chegada da nossa florzinha.
E assim ela chegou... com choro estridente e o melhor momento foi o encontro das nossas bochechas, do nosso olhar. Que alegria no meu coração de ver finalmente isso acontecer, de ver que ela tinha saúde, de ver a emoção nos olhos do Anercio. Era 09: 42 da manhã de segunda feira do dia 09/02. Ela saiu nos braços do Anercio para o berçario pois teve que receber tb medicação intravenosa devido à infecção. Nesse momento, respirei e dormi... Acordei por momentos na sala de recuperação e depois no quarto, quando finalmente pude ter minha pequena nos meus braços. Fazer o pele à pele, amamentar, beijar, viver aquele milagre com meu mais novo amor. E aí começava mais uma nova etapa...


sábado, 17 de janeiro de 2015

Tu vens, Tu vens... Eu já escuto os teus sinais....

     Eu já escuto e sinto os teus sinais... Minha pequena Lys já está grande dentro de mim sem muito espaço pra se mecher e começa a anunciar sua chegada com seus chutes e empurrões. Já estamos na semana 37 de gestação... foram tantas as emoções durante esse período! Aproveitamos pra fazer pequenas viagens em cada estação... Ver as baleias em Tadoussac, acampar em Magog, visitar primos em Mississauga, chalé com amigos em Baie Saint-Paul no outono, chalé em Drummondville e Ville de Québec com a familia no inverno. Pequenas escapadas deliciosas pra fugir do caos e do ritmo intensivo dos estudos. Foram verdadeiras fontes renovadoras de energia e momentos onde podia curtir minha gravidez sem stress.
     Essa sessão de estudos foi muuuuito cansativa, com trabalhos infinitos e exigências sem fim... mas graças à Deus sempre tive anjos proximos que me ajudaram a atravessar diversos obstáculos. Anjos da família, da universidade, da vizinhança, dos amigos... tanta gente fez a diferença na minha vida. Agradeço à providencia divina por me permitir tanta ajuda e amor. 
      Tivemos um grande privilégio de receber minha irmã e meu cunhado, Cecília e Ranieri, pra passar as festas aqui conosco... e com eles vieram tb meus pais pra encher mais ainda nosso ninho de felicidade. Faltou a outra irmãzinha, mas ela terá sua oportunidade tb... Foi tão bom mostrar nosso cantinho pra eles, sair juntos, curtir a barriga da sobrinha, curtir juntos o frio no chalé... Adorei tê-los aqui pertinho, dar abraço, comer chocolate... Papai e mamãe continuam conosco aqui na espera e nos preparativos pra chegada da Lys. 
  A descoberta a cada dia das transformações no meu corpo, a consolidação da vida, o acompanhamento do crescimento da nossa menininha foram também enchendo nosso lar de mais amor e nossa alma de esperança. A descoberta do sexo, a escolha do nome, as ecografias, a arrumação das coisinhas ... cheio de emoções, tendo que se rebolar pra poder conciliar tudo com tranquilidade. Agora estamos na reta final e a qualquer momento ela pode decidir chegar e inundar nossas vidas de mais descobertas. Existe todo um clima de espera ... as dores se intensificam e se abrandam em alternancia. Vivemos dias de preparação e de aguardo...Já estou me sentindo bem pesadinha rsrsrs com dores nas costas, nas pernas, no pé da barriga... fim de gravidez, barriga gigante e baixa imprensando tudo.












     "Quando a luz dos olhos teus e a luz dos olhos meus decidem se encontrar... Ai que bom que isso é meu Deus que frio que me dá o encontro desse olhar..."

Ansiosa por esse encontro ....

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Nossa doce espera

        E foi essa primavera que nos trouxe a doce notícia da vida que já havia se iniciado em mim...


     Dessa vez não estávamos na expectativa, era o périodo de investigação da causa das perdas anteriores e o médico nos advertiu de nos previnirmos para evitar uma possível concepção ... E assim estava sendo feito. Testes e mais testes, acompanhamento ginécologico e genético ... Uma pequena cirurgia uterina marcada pra retirada de um pequeno septo, um resultado inesperado necessitando de mais investigações... Cada coisa nos distanciava um pouco da possibilidade imediata de ter um filho, Lidar com esses sentimentos contraditórios e com a possibilidade de ter que fazer procreação assistida, com os riscos ... gerava um certo desconforto no intimo, um desafio à ser vencido, um desconhecido que adentrava nossa vida sem pedir licença. Mais uma vez treinamento intensivo na arte da entrega, de se manter confiante na vida mesmo se o caminho se mostrava embaçado.


         Mas a providencia divina age de forma tão certa em nossas vidas que foi num pequeno descuido (melhor dizer que foi num cuidado divino) que o nosso milagre se fez presente e o sopro de vida começava mais uma jornada de desenvolvimento. O meu mundo exterior não fazia idéia do que se passava por dentro ... participei da corrida colorida, trabalhei dez plantões noturnos seguidos duas vezes seguidas, andei muito com Najla e Roni acompanhando nas compras... até que resolvi fazer o teste por desencargo de consciencia pois não cogitava a idéia já que estavamos nos prevenindo. E o teste me paralisou ... como assim? Me belisca. Posso sair do meu modo "um dia quem sabe" e entrar novamente no modo "é verdade"? Sim, ainda parecia uma verdade distante e um perído de assimilação e transformação foi se instalando. E a cirurgia foi desmarcada (ufff!).
         Nova etapa, novos medos... que chato ainda cultivar o medo enquanto se pode cultivar a fé. Mas a ambiguidade fazia morada em mim apesar da balança pender mais pro lado da confiança. Cada ultrassom me fazia mais confiante e eu ia assimilando mais essa verdade linda que crescia dentro de mim com o coração acelerado. Aos poucos os amigos foram percebendo as mudanças em mim... Mas como tudo vem seguido de fortes emoções, no dia da nossa cerimonia de cidadania tb fomos surpreendidos com um pequeno sangramento .... AHHH... e foi aí que a balança pesou pro medo, mas colocava insistentemente todos os meus mecanismos para mantê-la na fé e na confiança. Oração e entrega... e foi um balsamo vê-lo dando cambalhotas dentro de mim, talvez alheio ao mar de emoções vividos naquele dia. Bom... os médicos não encontraram nada de errado, o sangramento parou e eu tive que pedir licença no trabalho por duas semanas. Semanas de "lazy days" de repouso e caminhadas tranquilas na beira rio... semanas de orações... estava me sentido tranquila e mantinha a confiança na vida. Aliàs, esses primeiros meses eu fui invadida por um cansaço e sono sem fim, minha energia minava, minha respiração ficou facilmente ofegante e superficial....e com os exames vimos que estava com hipotireoidismo... Bom, comecei os medicamentos.
             Agora já entrei de licença do hospital pra estudos e iniciei meu ano escolar na universidade com força total.. 6 cursos à tempo integral e estágio me aguardam. Estamos todos bem, confiantes na providência divina e gratos por esse momento sublime em nossa vida.



quarta-feira, 30 de julho de 2014

Cidadãos do mundo

             
"Vem vamos embora que esperar não é saber, quem sabe faz a hora não espera acontecer..."

        A antiga lição de viver pela pátia e morrer sem razão, já descrita pelo poeta, não embalava nossos corações. Gosto da idéia que somos seres universais "caminhando e cantando e seguindo a canção, somos todos iguais braços dados ou não... aprendendo e ensinando uma nova lição". E assim seguimos todos os passos, construímos novos saberes, adquirimos novos costumes e aprendemos à nos moldar à uma nova realidade, à uma nova sociedade...sem esquecer a nossa essência e a nossa cultura. 


         A cerimônia da cidadania foi muito emocionante. Foi realizada no salão do Hotel Marriot de Montréal e ao todo éramos 375 novos cidadãos canadenses! A juíza nos fez reviver passos antigos, obstáculos superados, momentos de construção e reconstrução de nós mesmos, questionamentos antigos que iam sendo descarrilhados e compartilhados de forma coletiva... Sentia-se uma vibração de vitória pairar no ar, viam-se sorrisos, rostos pensativos e lágrimas rolarem sendo testemunhas de tantas vivências e superações. Gente de todo jeito e de todo lugar, vindos de 65 países diferentes... dividindo aquele momento único na vida de cada um que se encontrava ali. Fizemos o juramento à rainha do Canada (Inglaterra) e cantamos o hino.... Ô Canada !! Eu tremia a voz e não entendia como era forte. Eu sempre adorei cantar o hino do Brasil e nunca imaginei que pudesse sentir qualquer emoção com outro hino. Mordi a lingua... mas essa sou eu, Mme sentimentos aflorados! rsrs

         E agora estamos preenchendo os papéis para os passaportes canadenses... 


quarta-feira, 23 de julho de 2014

5 anos mais tarde...

      Iremos receber a nossa tão esperada cidadania canadense! Mais uma etapa completada, um ciclo que se fecha e um sonho que se realiza. Em tempos de copa do mundo a brasilidade aflora nos corações tupiniquins e nos faz lembrar das nossas alegrias, das festas, dos reencontros... escutar os pandeiros, a cuíca e os tambores brasileiros ainda faz aumentar o baticum do meu coração.... mas esse pacote de ilusão é muito efêmero e passa como um chorinho triste. O nosso Brasil varonil não estava mais compatível com diversos valores que gostaríamos de preconizar e viver sem ter que se explicar e "dar jeitinho"... encontramos nessa sociedade que nos acolheu mais civilidade e oportunidades de viver mais honestamente com nossa consciencia e com o proximo. Claro que por aqui ainda existem várias mazelas culturais e sociais, mas nos sentimos tranquilos com nossa escolha, nos sentimos integrados em uma nova sociedade e conseguimos enxergar um futuro mais digno.
       Nossa vida aqui é impregnada da cultura brasileira, nossos melhores amigos são brasileiros e nossos fins de semana são em português com muito oxe, valha me Deus, e uma nordestinidade sem fim. E eu adoooro. A semana de trabalho em francês com colegas de diversas outras nacionalidades, as aulas, as saídas, as coisas diarias como fazer compras, resolver pepinos do cotidiano.... nos fazem membros ativos na construção da vida cidadã cotidiana quebecoise (quebequense). E agora vamos adquirir o direito de votar como cidadãos canadenses. 

           
       Já faz parte da nossa vida essa cohabitação intensa das duas nacionalidades em nosso coração. Nossas raízes brasileiras são solidas .... fomos construídos por essa cultura e somos parte ... somos representantes oficiais do Brasil aonde passamos. Agora construimos tb a nossa porção canadense e com orgulho da nossa caminhada. Não foi dado.... muito suor, lágrimas e sacrifíos estão na escrita dessa história.
E assim seguiremos... corações divididos, mas com passos de quem sabe onde se quer chegar.
         A cerimonia da cidadania e o juramento de fidelidade à rainha ocorrerá na sexta, dia 25/07! fotos em breve...

sexta-feira, 30 de maio de 2014

Sobre a universidade... Aprendizado em ebulição!

     Minha saga de estudos continua à todo vapor ... mais um ano concluído. O ano letivo por aqui se inicia em setembro e termina em maio. Quando embarquei nesse desafio de recomeçar a facudade não tinha nem idéia do que a vida me reservava e esperava só começar em tempo integral pra cair em tempo parcial o mais rapido possível...Mas a vida se mostra uma caixinha de surpresas e acabei terminando o meu primeiro ano completo, 11 cursos ao todo, em tempo integral.


     Como se passa os cursos na Universidade de Sherbrooke? São cursos independentes e dados ao mesmo tempo (diferente da Universidade de Montréal), alguns com leituras só em inglês e provas em francês, alguns são presenciais e magitrais, alguns são por método de aprendizadem por problemas (tipo não existe aula com professor, mas sim encontros de grupo onde se discute dez quilometros de matéria que vc estuda autonomo em casa e tem um monitor pra tirar só as dúvidas). Bom... digamos que foi ultra intenso. Cada curso demanda muita energia, com muita leitura de base em inglês, relatórios em francês, uma enxurrada de trabalho de équipe, apresentações orais, teatro e filmagens diante da turma. Isso tudo demanda disciplina e concentração à nivel master e uma capacidade de abertura à novas experiencias. E digamos que existe uma vida paralela à vida de estudos que se entremeia e fica bem dificil conciliar com tranquilidade e calma tudo. Gerenciar o caos em alguns momentos, antes de "pêter la cloche" (explodir e se lascar rsrsrs) ou mesmo depois rsrsrs, é um desafio.
      Alguns dos cursos: 

  • Biologia: todos os livros e artigos são em inglês, o formato é aprendizado por problemas, só se fala com o professor se for com rdv (rendez-vous) marcado com antecedencia... Os grupos são escolhidos pelo professor e se vc quiser mudar tem que apresentar um booom motivo, pois o objetivo é permitir também a gestão e resoluçao de problemas pelo proprio grupo. Existe uma parte da nota de cada membro que é dada pelos outros membros. É necessário um comprometimento enorme com a équipe e uma paciencia de monge pra lidar com as diferentes opiniões, o tempo limitado e a necessidade de ser objetivo e claro pra ter um bom rendimento. As leituras dos casos clínicos são feitas na semana anterior aos encontros, precisamos construir esquemas de estudo segundo o software CMAP (que eu não conhecia e tive que me virar pra aprender) onde se deve resumir a matéria estudada em forma de algoritimo. Discutimos e construimos um algoritimo em comum em grupo durante uma hora, depois vem um monitor que fica respondendo nossas dúvidas durante outra uma hora e depois já lemos a situação clínica a ser estudada pra proxima semana... ou seja, se vc não tiver com a matéria em dia vc literalmente se lasca "de com força"... o monitor só responde dúvidas, que se vc não tiver se preparado, simplesmente não vai haver perguntas consistentes e vc vai boiar! Método radical, mas que traz muito aprendizado....affff mas ainda assim prefiro o conforto do tradicional, onde eu me sinto mais à vontade com a gestão do meu tempo de estudo. Isso aí é pressão demais, faca na caveira rsrs. Em semana de provas pra outros cursos , vc literalmente enloquece pra conciliar tudo... Os estudos que me despertaram mais interesse em Biologia foram os módulos de cardiologia, do estudo da dor e da depressão.... eu me perco no fascínio de tanto conteúdo ainda novo pra mim. Relacionar o mecanismo de ação e o funcionamento dos detalhes da máquina humana, das células, dos neurotransmissores, das glandulas endócrinas, do coração.... me mostra a beleza da conjução material e me faz ter cada vez mais certeza que existe um comando muito maior na regência dessa bela orquestra do nosso organismo. Essa sensação alimenta minha vontade de progredir.

  • Filosofia do cuidado: foi uma boa surpresa e foi uma delícia estudar isso com nossa professora maravilhosa. Estudar as escolas que orientam a pratica de enfermagem e se identificar com o percurso escolhido é gostoso... ahhhh como é linda a téoria rsrsrs (soa até ingênua) sei que a prática é bem diferente, mas acredito que devemos construir a nossa identificação pessoal e profissional pra atingirmos uma realização mais plena. As pessoas em geral acham que isso é só "pelletage de nuages" (coletar nuvens com uma pá, "enchimento de linguiça"), falar de tudo e do nada e não chegar a nenhum lugar... mas pra mim faz sentido, e é isso que importa.
  • Abordagem familiar (Approche Familliale): aprendi diversas técnicas de abordagem ao paciente e à familia que sentia ainda muita falta no desempenho do meu trabalho. Fazer o outro falar, mas não só falar por falar, mas falar do medo oculto, daquilo que ele quer esconder dos outros e de si mesmo refletir seu comportamento, escutar com paciência e poder fazer a diferença na caminhada de alguém. Ainda me sinto muito distante do "fazer a diferença", mas estou descobrindo o caminho aos poucos. Fortaleci a noção da importancia e da influência do auto-conhecimento para o desenvolvimento da relação de ajuda. Antes de poder ajudar alguém, tenho que ter a consciência do meu "eu" e da influência do outro sobre mim. Autoobservação...Vi que existem diversos campos de trabalho e de conhecimento que posso desenvolver com o tempo pra poder me sentir um agente de transformação na vida de pessoas. E já passei a utilisar e integrar naturalmente essas técnicas no meu dia-a-dia com meu ciclo social.... aí vejo nítidamente a influência da lingua e da cultura no meu poder de intervenção de ajuda. Mas é assim mesmo, um passo depois do outro (Piano, piano...), com a certeza que a estrada é longa mas gratificante. Compreender as entrelinhas do pensamento e do comportamento alheio é um desafio, imagine quando isso acontece com uma cultura e uma lingua diferente da sua... Nesse curso desenvolvemos ateliers de situações clínicas onde temos que fazer representação teatral, construir um portfolio de aprendizagens, realizar entrevista gravada com uma familia em situação real de processo de transição ou de doença e construir em équipe um filme de 15 minutos sobre uma relação de ajuda adequada. 
  • Ética do cuidado: aí vejo a importancia do desenvolvimento da base profissional. O conhecimento dos limites dos comportamentos e da influência das decisões dos profissionais de saúde reflete a construção da idoneidade moral e profissional das pessoas que escolheram essa área de saúde como campo de trabalho. Quando me lembro da minha cadeira de ética que tive na faculdade no Brasil ... quanta diferença! Me desculpe meu professor que podia ter as melhores intenções, mas tinhamos discussões superficiais sem tanto apoio científico, slides vazios da minha compreensão que não faziam conexão franca com a téoria e a realidade. Talvez tb fosse a minha maturidade... No "replay" desse curso, agora onze anos depois, posso ver a diferença de conteúdo, de ensino e de debates entre alunos..... E ver o destrambelhamento da falta de ética na odontologia brasileira (e em várias outras coisas mais...).